Prefeitura entrega projeto básico do Mobi para Caixa Econômica Federal

A Prefeitura de São José dos Campos entregou nesta segunda-feira (29) à Caixa Econômica Federal o projeto básico do Mobi, sistema de transporte de massa com o uso do BRT (Bus Rapid Transit), que será implantado em São José dos Campos.

As 46 caixas de projeto, que contém mais de 2 mil folhas de desenhos e detalhamento técnico, foram entregues na Caixa pela manhã e, no início da tarde, o prefeito e o superintendente do banco no Vale do Paraíba, Júlio César Volpi, assinaram o termo de recebimento, em cerimônia realizada no auditório do 7º andar.

A implantação do Mobi em São José dos Campos será financiada pelo Governo Federal, por meio da Caixa Econômica Federal. O banco será o agente financeiro da operação, responsável pela fiscalização do contrato e pelos repasses às empresas que vierem a ser contratadas para executar a obra.

No momento, a contratação da obra está em fase de pré-qualificação para as empresas interessadas e a expectativa da administração é iniciar a obra entre dezembro deste ano e janeiro de 2016. O valor do contrato é de R$ 840 milhões, com previsão de execução em 42 meses.

Detalhamento

O evento também contou com a presença do arquiteto Ruy Ohtake, um dos mais renomados nomes da arquitetura Brasileira, que elaborou os projetos paisagísticos, urbanísticos e arquitetônicos para a implantação do sistema.

O arquiteto, que já havia apresentado os conceitos que seriam aplicados na obra de São José dos Campos, mostrou com detalhes a estrutura das estações e terminais de transferência que irão compor o sistema Mobi, incluindo a sistemática de funcionamento e as intervenções no entorno.

Segundo o arquiteto, o Mobi irá capacitar o transporte coletivo da cidade para atender São José por cerca de 20 anos ou até que o município atinja o número de 1 milhão de habitantes.

“Este projeto olhou para o futuro e vai realiza-lo, com o aproveitamento correto em termos de ecologia e do aproveitamento natural do terreno, em uma adequação cuidadosa. As cidades brasileiras, a partir de 600, 700 mil habitantes, começam a ter problemas de transportes e a Prefeitura de São José dos Campos se adiantou a isto”, disse Ohtake.

“Seguramente, esse sistema será suficiente para atender a cidade, até que ela atinja aproximadamente 1 milhão de habitantes”, completou ele.

Em sua apresentação, Ohtake também detalhou os oito corredores que irão compor a “rede” do Mobi, integrada ao sistema de ônibus comum. Ele mostrou com detalhes, também, as estações onde os passageiros irão embarcar ou fazer baldeação entre as linhas, destacando aspectos como os materiais e o processo construtivo simplificado.

“Eu disse ao prefeito que, talvez, não na primeira, mas a partir da segunda, já será possível construir uma estação em uma semana”, disse.

Mobi

Com o Mobi, os ônibus vão trafegar em canaleta segregada, com uma extensão aproximada de 51 Km em todas as regiões cidade. Também serão construídas 75 estações que permitam a cobrança externa, para tornar mais rápido o acesso dos passageiros e aumentar velocidade operacional, além dos terminais de transferência, onde o passageiro poderá fazer a baldeação entre as linhas.

O sistema conta ainda com monitoramento centralizado, ônibus com GPS, semáforos inteligentes para passagem preferencial aos coletivos, integração com o sistema de transporte público e informações em tempo real ao usuário. Esse sistema tem sido adotado em cidades de médio porte para o transporte rápido de massa.

Confira o projeto do Mobi.

 


@PrefeituraSJC PrefeituraSJCampos Canal PMSJC sjcprefeitura